Dedetizadora SP

Como funciona o sistema Sentricon de Controle de Cupins
4 de abril de 2017
0

Novas ferramentas de controle de cupins têm surgido, e um número significativo de empresas de controle de pragas já estão usando iscas como uma forma alternativa de tratamento. Os cupins vivem abaixo do solo, em grupos cooperativos, conhecidos como colônias. As colônias de cupins maduras tendem a ocupar múltiplos locais, interligados por túneis subterrâneos.

As dimensões de uma colônia podem ser bastante variáveis. Colônias maiores podem ter centenas de milhões de indivíduos. Colônias menores podem conter menos de 10.000 indivíduos. Em áreas residenciais, as colônias responsáveis por danos podem realmente ser localizadas no quintal de um vizinho, em vez de debaixo da casa que está infestada.

Os cupins subterrâneos escavam estreitos e sinuosos túneis através do solo, até encontrarem madeira, seu principal alimento. Raízes de árvores, troncos, tocos e resíduos vegetais também são uma fonte pronta e abundante de alimento para a colônia. Na natureza, os cupins são muito benéficos, uma vez que ajudam na decomposição da matéria orgânica e na troca de nutrientes para o solo.

Durante anos, o método padrão de controle de cupins foi aplicar um pesticida líquido no solo. O objetivo era criar uma barreira química contínua ao redor e sob a casa ou edifício, a fim de bloquear todas as rotas potenciais de entrada de cupins. Cupins que tentam penetrar no solo tratado são mortos ou repelidos. Na prática, há muitos obstáculos para alcançar tal barreira. Muitos pontos de entrada de cupins potenciais estão escondidos atrás das paredes, pavimentos, e outras obstruções. Mesmo onde o acesso para o tratamento é possível, é difícil uniformemente atingir o solo formando uma cobertura completa. Um tratamento típico de “barreira” pode envolver centenas de litros de pesticidas injetados no chão, sob lajes de concreto e dentro das paredes. Os proprietários, por vezes são contra a perfuração e a perturbação que esses tratamentos muitas vezes exigem.

O Sistema Sentricon é uma alternativa às perfurações. O sistema usa iscas implantadas como alimentos para os cupins ao redor da estrutura infectada. As iscas têm ação lenta e podem destruir um grande número de cupins. Elas são feitas de papel, papelão ou outros produtos saborosos para os cupins, combinados com uma substância de ação letal. A isca deve ser “saborosa” o suficiente para que os cupins queiram prontamente consumi-la, mesmo na presença de raízes de árvores, tocos, e madeira da casa que já estão à disposição. Se a isca matar muito rapidamente, os cupins doentes ou mortos podem alertar os outros cupins. A ação lenta é proposital, para aumentar a transmissão do agente para os outros cupins, incluindo aqueles que nunca foram alimentados com a isca. Colônias inteiras podem ser eliminadas desta forma.

Algumas iscas são inseridas abaixo do solo, no jardim, enquanto outras são instalados no interior da casa, onde há cupins ativos. A maioria dos componentes da isca de cupim (papel, papelão, etc.) se decompõem rapidamente sob a terra. Por conseguinte, a maioria das instalações inicialmente utilizam madeira não tratada. Para aumentar as chances de descoberta, as iscas são instaladas em intervalos fixos (normalmente de 10 a 20 pés de distância) ao redor de todo o perímetro da casa e em áreas conhecidas ou suspeitas de atividade (por exemplo, em torno de pilhas de madeira, tocos, áreas úmidas, etc). Com paciência e um pouco de sorte, os cupins, eventualmente, encontram e se alimentam de uma ou mais iscas. Uma vez que eles comecem a se alimentar, as estacas são removidas e um tubo de isca é adicionado. Os cupins, então, começam a se alimentar da matriz de isca, que contém um um inibidor da síntese de quitina impedindo a colonia de amadurecer.

Assista ao video informativo e visite o site da empresa para mais informações de como funciona o sistema Sentricon.